Maison

freelancer

#meuqueridoproblema – Omg sou freelancer. E agora?

Dar o passo para trabalhar como freelancer para foi fácil, ao início. Estava num ambiente de trabalho onde não me sentia bem e, para além de todos os medos, sair foi a melhor decisão.

Depois de dois meses a trabalhar no meu projeto pessoal surgiu a oportunidade de trabalhar numa nova agência. Um cliente muito desejado e uma agência como a qual sempre quis trabalhar. Aceitei o desafio.

E agora que estou em casa novamente? Por momentos senti-me sem forças para voltar para o Querido Atelier. Acreditam?

São vários os impedimentos e problemas que colocamos em cima da mesa quando pensamos em trabalhar por conta própria. E se no Instagram já tinha falado sobre isto, aqui irei abordar estas questões um pouco mais a fundo.

.

➡️ Não ter horários pode ser assustador

Problema: Já tinha novamente uma rotina criada. Um plano de trabalho montado e harmonioso. Voltar para casa vai obrigar-me a estabelecer novamente rotinas, um horário de trabalho, instalar-me no escritório cá de casa e focar-me. Por outro lado, vai trazer algo com o qual já não estava habituada: a trabalhar sozinha.

O lado positivo: trabalhar como freelancer dá-me a liberdade de definir os meus próprios horários e criar a partir de qualquer lugar no mundo, algo que me tinha motivado bastante início. E claro, eu própria também posso criar a minha rotina de trabalho, definir as horas das minhas reuniões e telefonemas e parar para me inspirar se assim achar que deve ser. Por outro lado tenho a sorte de ter algumas amigas e mulheres empreendedoras que montam o seu escritório em qualquer lado. Vai ser a desculpa perfeita para as convidar para sair de casa e trabalhar a partir de um dos inúmeros spots que existem em Lisboa.

.

➡️ Assusta a ideia de lidar com clientes

Problema: Quando estamos num trabalho por conta de outrem nem sempre temos de trabalhar com clientes e podemos estar dentro da nossa bolha de conforto. Não temos de discutir orçamentos, não temos de ouvir as suas reclamações e expectativas mal definidas. Cada um faz as suas tarefas e vai haver alguém para “os ouvir” e “aturar”.

Como freelancer, temos de lidar com todo o tipo de situações, desde o inicio até ao fim. Como é que nos vamos sentir à vontade para lidar com clientes? Com a experiência. Vamos cometer erros a nível de orçamentos, a nível de proteção do nosso trabalho, vamos ter de ter atenção à faturação, etc… Mas, como o tempo e experiência, acabamos por nos proteger e “ganhar calo” para lidar com todos esses aspetos. E isto vai fazer com que sejamos mais completos e polivalentes.

➡️ Como é que vou encontrar clientes e ganhar dinheiro?

Problema: Para se começar a trabalhar como freelancer de uma forma minimamente sustentável é preciso ter alguma base, não vos minto. Contactos, conhecimentos e know how. Sem esta base é normal que se sintam um pouco perdidos. Eu sabia que tinha de ter uma rede de contactos antes de sair da agência. Falei com alguns amigos, disse-lhes que ia começar a trabalhar como freenlancer e mostrei-lhes que podiam contar com o meu trabalho. Claro que irá depender da vossa área de atuação. No meu caso, devido às várias áreas onde já havia trabalhado foi mais fácil conseguir alargar o meu leque de contactos. Combinei os vários trabalhos durante algum tempo, consolidei-me no mercado e quando vi que podia largar a agência, sai. 

É normal termos medo mas os clientes irão chegar. Quer seja pela divulgação do vosso trabalho (através das redes sociais, site, etc…), pelo boca-a-boca, pela recomendação de conhecidos e amigos… Confiem no processo e trabalhem sempre da melhor maneira e com a distinção máxima. O vosso trabalho irá será conhecido e reconhecimento.

.

➡️ Não fui feita/o para lidar com Finanças, Segurança Social, etc…

Problema: Vocês são ótimos profissionais. São criativos, práticos e “barra” no que fazem. No entanto, não estão preparados para perceber sobre finanças, recibos verdes, rendimentos, taxas, ivas e diabo a sete. Pois é, mas faz parte.

Se procuram alguém que seja 0 a matemática, a economia e a finanças, essa pessoa sou eu. Mas não sou de desistir. Arregacem as mangas, falem com um familiar ou um amigo que perceba um pouco de contabilidade e leiam artigos sobre o que procuram para ficarem minimamente a par do que é preciso fazer como trabalhador independente. Acredito que o medo das multas que depois irão pagar vos irá motivar a ter a vossa contabilidade toda em dia. Acreditem, se eu consegui vocês também conseguem.

O que é que te impede de começar a trabalhar como freelancer é só uma coisa: medo.

E como se costuma dizer: Vai. E se der medo, vai com medo mesmo.

Post a Comment