Maison

Em Roma sê feliz.

Que ano estranho foi 2016. Comecei o ano sem blogue, sem planos, sem grandes mudanças agendadas na minha vida mas uma grande vontade de fazer acontecer. Não me perguntem porquê.

Duas grandes amigas casaram e eu estava finalmente comprometida a dedicar este ano a mim, aos meus amigos e à minha família. Tinha todo o tempo do mundo e … quer dizer, na verdade estava prestes a concretizar um dos meus grandes sonhos.

blog16

Abril começou com a nossa viagem anual, o que dá para começar o ano logo com algum entusiasmo.
Não estava com grandes expetativas em relação a Roma e tentei não criar grandes ilusões. Era um daqueles sítios que sempre disseram para ir e fui. Mal eu sabia que ia ser uma surpresa. Aliás, mal eu sabia que me ia apaixonar tanto no Itália. Apesar da quantidade de turista que a cidade tem foi um autêntico prazer conhecer Roma, a sua comida, as suas pessoas e a sua vida. Vimos tudo sem grande problema e ate consegui perceber como se sente uma formiga. Pequena, bastante pequena ao lado de momentos tão imensos, tão majestosos e imponentes como os de Roma.

blog17

É tudo tão grande. Tão enorme que mal consegui fotografar alguma coisa com a minha lente de 50mm. Basicamente passei o tempo todo de olhos esbugalhados, a admirar a beleza e o detalhe de tudo. Guardei na mente o que não consegui guardar na máquina. A energia e a história do que ali se passou sente-se nas veias e arrepia-nos a pele.

blog20

Toma nota dos locais a visitar:

O Colosseum {a arena romana onde se faziam as lutas de gladiadores}, o Panteão {marco da igreja romana com as suas tumbas históricas}, o Fórum Romano {as ruinas do coração do império romano}, a Fontana di Trevi {a icónica fonte esculpida do século 18}, a Escadaria da Praça de Espanha {escadas barrocas que funcionam como ponto de encontro e levam até a uma igreja com um miradouro}, a Basílica de São Pedro {a maior basílica do mundo Cristão}, os Museus do Vaticano {tesouros de arte renascentista do palácio papal}, a Piazza Navona {praça com uma fonte, bares e restaurantes}, a Piazza del Popolo {praça histórica no norte da cidade}, a Via Veneto {área comercial}, a Capela Sistina {capela com a famosa pintura de Michelangelo}, o Monte Palatino {Roma Antiga}, a Basílica di Santa Maria Maggiore {igreja do século V com um tecto dourado}, o Campo de ‘Fiori {movimentado mercado de rua com produtos locais e biológicos e flores também}, Trastevere {a zona mais cool de Roma} e muito mais.

blog21

Podes levar três dias para ver Roma, mas é tudo muito a correr. Nós apenas ficámos três dias e era levar muito cedo e voltar ao quarto à noite de rastos. Cinco dias seria mesmo o ideal para ver tudo com calma e ainda aproveitar a noite, por exemplo.

As cores quentes da Itália encheram o meu coração dia e noite. É uma cidade muito segura também o que te faz sentir muito confortável, isso é certo.

blog18

blog23

Pra quem não sabe, Silvana é um nome italiano – sim, não é brasileiro, é italiano – e foi-me dado pelo meu avô que sempre amou música e cinema italiano. É piegas dizer, mas me senti em casa.

Post a Comment