Maison

A importância de fazer Lives

O mundo está (a)Live!

Desde que começou a quarentena ou o isolamento em que vivemos, tendo em conta a pandemia do Covid-19, tem-se assistido a uma quantidade enorme de pessoas a fazerem Live (directos) no Instagram.

Sozinhas ou em parceria, este isolamento fez com que as pessoas nas redes sociais afastassem a solidão. Em directo, falam sobre o que está a acontecer no mundo, pintam, dão workshops, realizam tutoriais de maquilhagem, fazem lançamentos de livros, entre outros. Longe mas unidos é esta a mensagem que é transmitida atualmente nas redes sociais em Portugal e por todo o mundo.

Eu cá acho que ainda vamos todos aprender muito com este vírus.

Atualmente, não têm sido só as marcas, gestores de conteúdos e empreendedores a lançarem-se no Live. Começam a surgir várias iniciativas culturais como o Festival #euficoemcasa que proporcionou momentos musicais de 17 a 22 de Março com alguns dos artistas mais conceituados em Portugal. Desde o rap ao fado, havendo ainda lugar para dj’s, o plano é mesmo desfrutar destes momentos em casa, visto também que vários concertos e eventos foram cancelados, e penso que é algo que vá acontecer em mais áreas.

.

No entanto, numa perspectiva de marketing, realizar Lives é importante para promover o teu negócio ou marca. Porquê?

O Instagram possui um algoritmo – o danado do algoritmo – que procura priorizar os vídeos realizados em streaming. Ao contrário do que acontece com qualquer outro tipo de publicação, os teus seguidores serão instantaneamente notificados quando iniciares uma Live. E isto por si já é um grande plus.

Por outro lado, é fácil de perceber porque é que as Lives atraem tanto a atenção das pessoas. Se o vídeo já é o conteúdo estrela, imaginem o impacto que irão causar nos vossos seguidores assim que entram em directo. E estamos a falar de negócios variados. Podemos falar de negócios de moda, de beleza, culturais, relacionados com o ensino, etc. A experiência que um utilizador tem ao estar a assistir em directo a algo, sentado confortavelmente no seu sofá, é fascinante.

o isolamento afasta as pessoas e une-as em live

 Estamos assim a assistir a um estilo de Marketing de Relacionamento.

A partir do momento em que uma marca ou negócio consegue agregar valor junto do seu público desta forma vai também criar um laço humano muito forte com os seus seguidores traduzindo-se em engagement. Em português: interações. Algo muito importante para o nosso amigo algoritmo. No Festival #euficoemcasa foi notório o impacto que este evento teve nas constas de Instagram de quem participou. Pudemos assistir a quase 60k pessoas a assistir ao Live do Diogo Piçarra (uma das maiores audiências) para não falar do aumento gigante das suas contas de Instagram. Principalmente contas de artistas não muito conhecidos.

.

Estão a perceber a ideia?

.

Num Live, os seguidores conseguem fazer perguntas, dar opiniões, gostar do conteúdo e interagirem. A nível de marketing é muito importante.

A importância de fazer Lives

Para fazer um Live é apenas preciso um telemóvel e acesso à Internet, naturalmente. O tempo limite para a gravação é de até 60 minutos e durante a transmissão, conseguirás visualizar quantos seguidores estão a assistir e a comentar dando resposta às suas questões. Podes ainda convidar alguém para entrar em directo contigo e até mesmo os teus próprios seguidores podem pedir para fazê-lo. Depois podes guardar este vídeo, publicá-lo nas outras redes sociais, como Facebook ou YouTube, e até mesmo colocá-lo num Destaque para que as pessoas possam assistir.

Lembra-te de que um Live é para ser feito sem filtros e o mais real possível. Não é altura de procurarem ser perfeit@s. Depois de o programares aproveita a transmissão e o contacto com a tua audiência. Verifica os dados abaixo e tira as tuas próprias conclusões.

.

Alguns dados relevantes sobre as LIVES do Instagram:
  1. As pessoas passam 8 vezes mais tempo a ver vídeos ao vivo do que gravados (Tubular Insights);
  2. 80% dos seguidores preferem ver vídeos corporativos ao vivo do que a ler um post num blogue (New York Magazine);
  3. 82% dos utilizadores preferem vídeos do que posts sociais normais no feed (New York Magazine);
  4. O tempo médio gasto no consumo de vídeos em dispositivos móveis é 2.8 minutos para vídeos gravados e de 3.5 minutos para transmissões ao vivo (LiveStream);
  5. O consumo de vídeos ao vivo cresce 113% ao ano, mais do que qualquer outro formato de vídeo (AdMarketing).
(Dados retirados do site Aramado Midia)

Post a Comment