Maison

criar um produto para o teu negócio

#meuqueridoproduto – Quem não tem um produto que arranje.

Este tema pode ter vários ângulos, temas e subtemas. Temos uma marca, somos “A” marca, temos um negócio, ofereceremos um serviço mas também vendemos um produto.

Seja qual for o nosso modelo de negócio temos um produto para oferecer. E quem não tiver que o arranje.

É comum nestes dias, por exemplo, assistirmos a digital influencers em que são eles “A” marca, oferecendo uma panóplia de serviços enquanto influenciadores, com um peso enorme na difusão de conceitos, estilo de vida, práticas de consumo, etc, até ao lançamento dos seus próprios produtos: livros, maquilhagem, roupa, jóias, entre outros.

Um produto oferece um vínculo e torna real e material a própria marca. Eu mesmo como trabalhadora independente, em que o meu foco é meramente oferecer e prestar serviços de comunicação e design, posso muito bem criar produtos para criar awarness, diferenciação e fortalecer a minha imagem enquanto profissional. Mas não só!

Mas criar um produto? Que produto? Que cuidados devo ter quando criar e comunicar o meu novo produto?

.

➡️ Se o teu objetivo é apenas ganhar dinheiro, esquece!

Lamento informar mas se o teu único objetivo em lançar um produto é ganhar dinheiro a tua estratégia já começa mal. Aliás, se a tua presença online é focada apenas com o intuito de ganhares dinheiro, o problema começa aí.

Porquê? Porque se a tua intenção e propósito não estiver focado no teu público, no seu bem-estar, na sua felicidade e em lhe solucionar um problema, ele provavelmente não vai comprar nada do que é teu. Tu comprarias alguma coisa de alguém com quem não te identificas e que consegues ver ao longe que o seu objetivo é ganhar dinheiro contigo? Cola-te no lugar do teu público e irás ter todas as respostas. Se tu enquanto embaixadora da tua marca/serviço e o teu produto não agregarem valor, seja de que forma for, o teu produto não irá ter sucesso.

.

➡️ Criar produtos significa LEADS

Claro que a primeira pergunta é? O que são leads.
Leads é um termo de marketing usado para descrever o início do interesse ou questão de um possível cliente num determinado produto ou serviço  dando os seus dados pessoais para a obtenção de mais informações ou subscrição de algum serviço/produto.

Existem muitos métodos para a geração de leads que normalmente funciona como alguma forma de publicidade nas redes sociais utilizando landing pages e/ou formulários que pretendem que os clientes forneçam os seus dados (nome, idade, email, telefone, cidade, etc..) para a obtenção de algo que pode ser, por exemplo:

  1. acesso a um e-book gratuito;
  2. acesso exclusivo a um novo lançamento;
  3. workshop online;
  4. desconto para as x primeiras pessoas que se registarem no site;
  5. x€ desconto ao submeterem a newsletters.

A criação de leads é umas das estratégias utilizadas no marketing de atracção que reúne um conjunto de estratégias que pretende atrair, converter e fidelizar potenciais clientes.

.

➡️ Ligar apenas ao número de seguidores

“Se eu tiver 10, 20, 30 mil seguidores vou vender bem?” Esta questão está muito ligada ao primeiro ponto e não, mais seguidores não irá fazer com que o teu produto venda mais. O teu foco continua errado. Ter 30 mil de seguidores não te irá tornar rico mas 30 mil clientes, sim. E como se consegue isso? Com conteúdo orgânico cuidado e real, uma oferta que agregue valor ao cliente, a oferta da solução para um problema, uma completa noção de quem é o teu público-alvo e ouvir/conhecer as suas “dores”. O número de seguidores é bom enquanto és influenciador. No entanto, conheces o caso da influenciadora de 2,6 milhões de seguidores que não conseguiu nem vender 36 t-shirts?

.

➡️ Como estão os vossos carrinhos abandonados?

Neste caso já têm uma loja online em que querem aumentar as vendas. Ok, é legítimo. Debati-me muito com este tema quando trabalhava na b.kini. Um dos problemas eram efetivamente os carrinhos abandonados. Mas porquê? O que impediu o cliente de efetuar a compras?

  1. Será que estão a pedir muitos campos de registo?
    As pessoas não têm tempo para estar a preencher muitos campos quando querem efetuar uma compra. Pedir email, confirmações de email, perguntar se a pessoa é um robot, etc pode afastar um potencial cliente. Optem por criar formulários mais pequenos e preferencialmente que não seja necessário obrigar a pessoa a fazer o registo no vosso site. Se estiverem com conta criada melhor, mas ofereçam também uma modalidade de compra rápida.
  2. Os valores dos portes de envio são muitos caros?
    Neste caso convém verificar com a transportadora os preços reais de envio. De for pelos CTT basta ir a uma loja ou ao site para verificar esta questão. Para melhorar a relação ponderem oferecer os portes na compra de 2 ou mais produtos, na compra de um valor a cima de x€, etc..
  3. As opções de pagamento parecem seguras?
    Hoje em dia existe uma variedade imensa para fazer pagamentos e as várias lojas online já conseguem ter os pluggings certos nos seus backoffices para ter pelo menos o Paypal, transferência bancária, MB e MBWay. Não há como enganar! Nota: todos os vossos códigos de segurança (incluindo o do MB Way) são pessoais e transmissíveis. Não o digam a ninguém!
    .
➡️ Não tenham medo de informar sobre o preço!

Existem duas pessoas no mundo: as que falam abertamente sobre o preço dos seus produtos nas redes sociais; e as outras que pedem para enviar mensagem privada!

Não há nada mais irritante do que isto! E outra:

✔ As pessoas que vêem este tipo de processo vão achar que o vosso produto é demasiado caro ou exclusivo (isto funciona dependendo do teu público-alvo);

✔ Vai criar uma barreira porque a pessoa pode desistir do produto porque não quer ou se esquece de enviar mensagem privada;

✔ Podem achar que são praticados preços diferentes para cada pessoa e não transmite uma comunicação muito real e de confiança.

Mesmo que o preço não esteja sempre associado ao produto se os clientes perguntarem o valor não façam um mistério à volta do assunto.

.

Identificaram-se com este artigo?

Post a Comment